Imensidão

Postado em 26 de dezembro de 2017

Estaria olhando o mundo e até mesmo a imensidão, ao dizer coisas que sei, mas se algo acontecesse correria até uma árvore e a abraçaria com tanta intensidade que sentiria a mim novamente. Diria a vocês que: "Sabe quando se sente tudo e ao mesmo tempo nada? Dizem que nasci ao contrário que sou uma velha neste meu corpo, e realmente me sinto assim, mas ainda tenho que viver coisas dos meus vinte e poucos anos. E digo mais, olho para a imensidão porque vim de lá, em algum canto do cosmos estava e agora vim aqui para cumprir meu papel ao que sou. Choraria. Perguntaria. Questionaria o mundo. Mas vocês não compreendem ou sou eu que não compreendo o mundo ? Você realmente sentem o sentir? Porque tem dias que nem isso sinto". 

Choro

Postado em 25 de dezembro de 2017

Estou sentindo, posso fazer o que ? Como não sentir? Já me questionei sobre isso antes, mas o que posso fazer se lágrimas escorrem em meu rosto e não consigo parar enquanto escrevo isso. O que posso fazer quando o coração precisa chorar? E não precisava, mas minha garganta se entala a cada palavra não dita, e pelo que minha mente tente ardentemente me enganar, me estrangular. É tão bobo, que uma parte de mim diz que nem precisaria, já outra que é bom chorar. Sabe o que no fim é, perceber que pessoas importantes também te magoam e até mesmo você por palavras, e o medo ou seja o que for que me diz que não queria ter ouvido o que ouvi, que não posso voar e que estou sendo rude demais... Sempre pra depois? O proposito é seu, não meu. Não quero guardar essa pequena dor inútil comigo, e não vou me permitir a isso, pois isso é bom chorar...

Saturno

Postado em 21 de dezembro de 2017


Nunca um ano foi tão intenso como este foi, e em massa, não teve uma pessoa que não se balançou ao menos por algum ponto de sua vida. Mas não quero falar dos problemas, e sim do que aprendi. Com saturno pude enxergar minhas sombras e sua profundidade tive que saber, ao me jogar nas sombras, enxerguei tantas partes de mim que nem imaginava ter e que ainda não estavam curadas e que nunca mais tinha passado em minha mente, lixo guardado de anos, da infância, das dores de um amor, do que inventei como verdade, e que não passaram de nada para os outros, e algo enorme pra mim, e que agora se tornou um ponto, que ficou pra trás, mas a qual não se deve eliminar por completo, pois temos que saber de nossas sombras, senão qual seria o sentido da luz, ou mesmo do que podemos melhorar em nós ao saber do que temos em nós. E que profundidade intensa, que topou meus olhos até para o que estava ganhando em minha volta, ao que tinha, ao que era, ao que estava acontecendo simplesmente, já não conseguia enxergar nada com clareza, tudo se retornava ao que era tão escuro e nem luz se transpassava e parecia que estava nadando sem rumo, a ponto de afogar num rio tão escuro que seria impossível de sair, mas um barco surgiu e ao ver a imensidão escura, fui puxada e salva a tempo de conseguir ver com clareza tudo novamente, já não existia a escuridão, nem o barco, nem o rio, apenas eu e o que restou do meu ser a toda vivencia sentida na alma, que quando senti que sai de tudo aquilo, foi como nascer de novo, um novo ar entrou e pude respirar, um novo lugar e pude perceber quem estava comigo e um novo eu estavam me esperando.  

Dança de décadas

Postado em 20 de dezembro de 2017

Num salão dourado dancei sem parar, no palácio onde todos veneravam o bom e o prazer
No acampamento dancei em volta de uma fogueira, onde todos sentiam o bom e as forças da vida no próprio ser
Na floresta em meio as pedras e luar, o corpo nu venerava a lua e a natureza, e dançava ao som das árvores e arpas.
Em sintonias e tantas melodias, os anos se passaram e muito dancei e a cada década, ano e dia senti a doçura e leveza de uma sinfonia, canção cantada ou tocada, todas sentidas em meu coração, e com grande emoção que a música e dança sempre me trouxeram e estiveram presentes em meu ser. 

Sombras a luz

Postado em

Na noite entre as sombras dancei a luz de velas, e a cada batida um sopro de fora percorria todo meu corpo, trazendo leveza enquanto a cada toque e movimento meu coração batia mais forte, e girando com o véu, via a ti me observando em minha imaginação, um alguém que nem conheço, mas o sentia e dancei ao poder das salamandras que se faziam na luz de velas, e as sombras do meu corpo se formando nas paredes e continuava venerando a mim mesmo e ao meu ser a capa toque do meu corpo, batida da música, sentida em meu coração.  Meus cabelos transpassam os movimentos e a mim, e ao meu próprio corpo me senti abraçada. Ao poder do fogo que me rodeava... E um pensamento “É assim que você deve estar, nessa sintonia, estar bem para dançar para si mesma e se bastar e amar-se”. 

Postado em 19 de dezembro de 2017


Tenho todas as respostas dentro de mim!

Sol em mim

Postado em


Sol em mim, amor em mim, mundo do avesso, pássaros voando e me olhando, nuvens formando desenhos. Assim como a lua esta em mim, mesmo na luz do dia, e na noite o sol ainda brilha em meu ser, é só pedir que todas as forças estão em ti.