Rosa e o cravo

Postado em 11 de janeiro de 2016


Era uma rosa sem espinhos. E como uma rosa sem espinhos pode se proteger? Você me fez querer sair do lugar, voar sem precisar saber para onde ir, e voei com você. Fui a mais doce rosa para seus lábios, e não te machuquei com os poucos espinhos que tinha, mas então o tempo passou e fui crescendo, e o seu amor me deixou sem saber o que fazer, teve momentos que não sabia nem mesmo o que queria, mas a unica coisa que precisava era estar contigo. Minhas raízes se afundaram cada vez mais em sentimentos e aprendizagens e meus espinhos cresciam pois precisava me proteger, não só dos outros, mas de mim mesma, e foi então que meus espinhos me fizeram enxergar não só a mim e minha beleza, de uma linda rosa, mas tive que olhar adiante, olhar pra frente e não só para o que estava em volta de mim, e foi assim com tudo que criei que você se foi, e um espinho ficou cravado em meu coração e também no seu, pois o amor não acabou e é forte demais. Mas por que parece que não podemos ficar juntos, meu querido cravo, meu oposto que me faz completar em todos os sentidos, mas você não faz parte da minha vida e infelizmente tenho que aceitar isso. Mas como dissemos um ao outro sempre vamos pertencer um ao outro, porque ainda nos amamos.

2 comentários: