Não me venha dizer...

Não me venha dizer de paz se em ti não há, não me venha dizer sobre respeito, quando mesmo se mostrando ou verbalizando suas atitudes provando o contrário. Não me diga em amor ao próximo, ou respeito aos diferentes se ao outro que é diferente de você não demonstra nem respeito, nem amor e nada do que verbaliza. 
Muito cómodo pertencer a um grupo e aceitar os iguais, muito fácil dizer amém, axé, namastê, gratidão, sendo que este sentimento nem no peito carrega. De todas as lutas que existem e que se mostram importantes, se resumem ao que o ser humano ainda não aprendeu, e se não você foi aprendido ainda, cabe a todos. 
E assim o olhar sobre si mesmo a partir do que é manifestado, não importa se você é branco, negro, do axé  ou do amém, estrangeiro, nordestino, índio... O aprender e o respeito deveria caber a toda humanidade. 
Fácil é o que fazem de aceitar somente os semelhantes e excluir o diferente. É muito mais o jogo do ego do que um trabalho de luz, boa intenção pode se até ter, mas não é isso que determina quem são ou aquilo que se acredita ser seu trabalho. 

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

SUBIR
TOPO